Aos professores:

Esse espaço foi criado pela Direção e Coordenação para que todos possam expressar suas ideias, reflexões e fazer suas inferências.
Pedimos, por gentileza, que a Norma Culta da Língua Portuguesa seja preservada. Antes de postar verifiquem erros de digitação, concordância, etc. Como o Blog não tem restrição de usuários, qualquer aluno, pais de aluno e comunidade em geral podem ter acesso à plataforma.
Com isso, peço que a linguagem utilizada seja pertinente e apropriada ao tópico que será trabalhado na semana.
Uma excelente reflexão a todos!

terça-feira, 7 de maio de 2013

Pauta ATPC - 08/05/2013

Conforme acordado na reunião de Conselho de Classe, o período para interação foi ampliado até 5ª feira - 23h59. Após esse período, o professor que não acessar a plataforma será considerado ausente. 

Caso o professor tenha problema de acesso ao conteúdo, a sala do Acessa Escola estará à disposição nesses dois dias com o auxílio dos estagiários. Para quaisquer outras situações, por gentileza, procurar Coordenação ou Direção.


Por fim, é um espaço destinado à formação continuada dos docentes e equipe gestora.

Espero que tenhamos acertado o nosso "timing", pois só com essa precisão é que conseguiremos uma escola melhor. Assistam ao vídeo como exemplo:


Agora, propomos que leiam o artigo abaixo e em seus comentários sugiram os temas que poderemos tratar nos próximos ATPC´s. 

Lembrem-se que este é um espaço de formação e desenvolvimento docente, portanto a fundamentação teórica faz parte de nossas colocações.



Bom trabalho!


18 comentários:

  1. O artigo proposto para leitura demonstra o quanto nós, professores, necessitamos de compartilhar os problemas e desafios diários da sala de aula.Não podemos esquecer que a classe é uma amostra da nossa sociedade e que os problemas surgem corriqueiramente. Os jovens com comportamentos indevidos pedem atenção e provocam situações onde os educadores sentem urgência para tratarem,as famílias não orientam, o governo se omite e a sociedade negligencia.
    Em relação ao vídeo: Precisão Japonesa em desfile, não podemos esquecer que o timing Brasileiro é bem diferente, gostaria de assistir a um vídeo feito no Brasil.
    Sugestão de temas para ATPCs:1)Classes que produzem versos classes Improdutivas.
    2) Famílias, como faze-las participarem da vida escolar de seus filhos.

    Professora: Simônia Gomes - Matemática

    ResponderExcluir
  2. Temos alunos que "caminham sozinhos" que infelizmente nao tem pai/mãe presentes por inúmeros motivos que não justificam essa ausência. Nós professores temos que ser além de professores na sala de aula, minha sugestão é a seguinte: Pais ausentes, aumento da indisciplina.
    Outra sugestão é a questão da "aula vaga", estamos convivendo com problemas como a falta de professor e um numero cada vez menor de professores eventuais.Quando não há oportunidade de adiantamento de aula e os alunos ficam com mais de 1 aula vaga, eles voltam para a sala de aula e nao querem fazer mais nada pois dizem ter perdido "o pic", como poderiamos ajudar para os alunos nao ficarem tão soltos?, atividades que eles poderiam realizar sem supervisão como por exemplo: leitura, videos, confecção de materiais e etc..
    Tudo isso os deixariam mais úteis dentro da escola.

    Prof. Ana Paula- ed. fisica

    ResponderExcluir
  3. Concordo com o texto apresentado e por isso precisamos discutir cada vez mais nossos problemas nas reuniões, e aproveitarmos tudo que estiver à mão para a solução dos mesmos, já que nossos alunos não vivenciam em suas vidas "disciplina" para alcançar um "objetivo", pois são imediatistas e "o futuro a Deus pertence!".
    Jacqueline

    ResponderExcluir
  4. Quanto ao vídeo: para a realização de um trabalho apresentado se deve através de muita disciplina, onde há foco e objetivo.
    Quanto ao texto: É muito importante as discussões em HTPC do que acontece principalmente em sala de aula, como troca de experiências. Contando sempre com o respaldo da coordenação e direção.Segundo aos autores citado, o texto nos mostra que as reuniões de HTPC, proporciona aos professores experiências de formação, onde se discute entre tantos assuntos a indisciplina. Percebe-se que a função da escola além da formação do aluno é assumir a responsabilidade na educação de valores e respeito.
    Professora : Maria Tereza de Abreu

    ResponderExcluir
  5. Antes de tecer quaisquer comentários, gostaria de parabenizar a matéria postada, muito boa..!
    O eméritos pensadores em suas razões apresentadas na matéria, evidenciam uma clara necessidade de se buscar novas ferramentas para a melhoria do ensino-aprendizagem. Trata-se aqui de fomentar iniciativas organizadas e realçadas por fundamentações práticas, embasadas nas experiências vividas pelos próprios docentes.
    Há de se buscar inovações sim, porém, sem deixar de lado a experiência de anos desses profissionais, um verdadeiro laboratório vivo. Devemos propor um conjunto de atitudes que possam alicerçar nossas ações, termos nos profissionais mais experientes a fonte para resolução de nossos problemas, trata-se da sabedoria, do carisma, e do jovem docente, as inovações, as novas práticas e ferramentas, o estímulo entusiasta, enfim, devemos aproveitar nossas realidades para suprir as possíveis incapacidades.
    É importante que sejamos uma equipe, que tenhamos disciplina, mesmo que não seja àquela dos japoneses, mas que esteja próxima das nossas possibilidades e realidade cultural.
    Temos turmas que se destacam coletivamente, alunos que se destacam individualmente e, temos também aqueles que não se deram oportunidade de demonstrar suas potencialidades. Devemos lembrar que todos possuem qualidades e só irão aflorar em um ambiente de interação e liberalidade. O aluno e também o professor, só poderão crescer em um ambiente que lhes seja agradável e que possa valorizar suas qualificações, ninguém é movido a críticas e preconceitos. Uma escola deve falar de todas as formas, nas artes, no esporte, na literatura, na matemática ou em qualquer ambiente que possibilite a troca de conhecimentos e potencialidades.
    O professor deve ser também um elemento essencial na relação entre escola, aluno e família, deve ser o espelho e a fonte de inspiração de seus alunos. Não podemos nos deixar, em razão das decepções profissionais da categoria, de buscar a cada dia nossa realização em nossos alunos. Uma escola de qualidade é antes de tudo, um prêmio para o profissional comprometido para com ela.
    O ATPC é o momento ideal para essa troca de experiências e planejamento conjunto.
    É isso...!
    PROF. SIDNEI

    ResponderExcluir
  6. Com relação ao vídeo devemos destacar que a educação japonesa é completamente diferente da educação dada aos nossos jovens, lá eles respeitam e valorizam o professor e a escola, tem metas e objetivos para uma boa formação. Devemos discutir e ressaltar os problemas e obstáculos para superarmos todas as dificuldades dos nossos dias, mas também necessitamos da participação e colaboração dos responsáveis, para isso, poderíamos implantar nos ATPCs vídeos de motivação, e que estes fossem divulgados para os pais, para que estes pudessem entender a importância de atuar junto à seus filhos no escola.
    Roseli Prieto

    ResponderExcluir
  7. As novas gerações têm sido criadas longe dos pais e dos avós. Isso faz muito mal, pois tem um distanciamento da família em sua convivência, e com isso chegam à escola mal educados. Eles não chegam mal criados, mas sim mal educados, sem noção de hierarquia, não tem paciência e não tem persistência.

    Esse aluno veio de uma sociedade em que houve um distanciamento entre os adultos e os jovens, isto é, entre os pais e os filhos. Portanto, este aluno chega à escola com dificuldade para ser escolarizado e educado.

    Fica ai a responsabilidade dos professores escolarizar e educar estes alunos.

    Educar significa: ensinar para este cidadão noções de hierarquia, e fazer que ele entenda que autoridade não é autoritarismo, que desejo não é direito.

    Temos que fazer a junção das gerações, evitando o choque.

    A sociedade tem que querer sair da caverna, uma vez que o “PODER EMANA DO POVO”, é o que diz a carta magna em seu preâmbulo.

    É o que penso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O vídeo é uma questão cultural que prima por uma disciplina radical,pressionados pela família e pelo sistema altamente exigente.
      Segundo Silva, os professores necessitam estar em constante aperfeiçoamento, tanto na formação teórica e prática para contribuir para qualidade do processo ensino aprendizagem,porém, a escola deve propiciar espaços para trocas de experiências e reflexão das práticas pedagógicas.Um desses espaços é o ATPC,ideal para os docentes, coordenadores e gestores discutirem os desafios e as possibilidades, garantindo oportunidades pedagógicas na formação do individuo e consequentemente na prática pedagógica do professor.
      ‘A troca de experiências e a partilha dos saberes consolidam espaços de formação mútua,nos quais cada professor é chamado a desempenhar, simultaneamente, o papel de formador e de formando.’(Nóvoa).
      O trabalho reflexivo é de fundamental importância para a aprendizagem e a formação profissional, portanto, a construção do conhecimento não está ligada somente a cursos e palestras.
      Um outro tema muito complexo abordado no artigo é a indisciplina na escola, que muitas vezes remete a responsabilidade ao professor ou a sua prática pedagógica,porém,
      envolve uma série de fatores sociais, políticos, econômicos e culturais. O desafio seria uma parceria com a família, escola, poder público e desenvolver projetos pedagógicos visando a formação ética dos alunos para o exercício da cidadania.
      Sugestões:
      - trocas de experiências bem sucedidas e que deram resultados positivos.
      - discutir projetos culturais com a participação da comunidade.
      -oficinas
      - textos de especialistas na área de educação e leis para formação continuada dos professores.

      Professora- Denise Marques Reis.

      Excluir
  8. O vídeo postado é excelente em relação a qualidade de execução do desfile e organização, só que a educação que se tem no Japão é outra, os Professores lá são tão importantes, respeitados e valorizados, a ponto de serem os únicos que não precisam fazer reverência ao rei (matéria da revista Veja) , lá os alunos são extremamente disciplinados, já aqui no Brasil as coisas não funcionam bem por aí, pois o fundamental está acabando as famílias, a educação vem de casa, os valores morais, entre outras coisas mais...
    O ATPC é um momento importantíssimo em que a maioria dos Professores se reunem e podem falar sobre conflitos, problemas, soluções, fazer desabafos, planejar, ter ideias e também aprender, com os outros colegas e com a equipe gestora.
    Assunto: Como trazer a comunidade e os familiares para perto de nós (a escola).
    Profª Tatiana Cascaes - Arte

    ResponderExcluir
  9. jose augusto08/05/13 20:19

    Belíssimo vídeo,parabéns ao país que já sofreu com a bomba atômica,tsunamis etc e reergueu-se novamente, uma outra realidade, o que comentar?Uma pena o nosso país em mãos de maus governantes, que não priorizam educação, saúde e segurança.Concordo com a colega Professora Tatiane sobre o ATPC e o assunto que ela propos de real importância "...comunidade e familiares para junto de nós...".José Augusto/Geografia

    ResponderExcluir
  10. Em relação ao vídeo: Se a disciplina no Japão não é severa, com certeza deve ser pelo menos exigente.Sabemos que lá o imperador reverência um professor,os uniformes são bem compostos,há silêncio fora dos tempos de recreação, filas, limpeza nos recintos, respeito aos professores e funcionários, pontualidade nos horários, cumprimento exato dos deveres escolares, etc.
    Aqui no Brasil o importante é acreditar estamos fazendo o melhor e que o aluno muitas vezes clama por disciplina e ordem.Nossa escola tem uma equipe muito boa e juntos podemos torna-la uma escola modelo. Acredito nisso!

    ResponderExcluir
  11. O vídeo mostra o resultado de semanas,,,meses e até anos de repetição. Disciplina??? Não sei,,, a repetição pode levar a perfeição. É de conhecimento de todos que os jovens japoneses culturalmente são mais cobrados, chegam a cometer suicídio quando não atingem os resultados esperados. Jovens brasileiros bem treinados e orientados corretamente também podem apresentar bons resultados.
    Acho interessante a troca de experiências no ATPC. Sugiro que em cada reunião os professores falem sobre uma experiência positiva e uma negativa, em sala de aula.

    Maria Alcedina



    ResponderExcluir
  12. Com relação ao vídeo, diria que apresenta uma perfeição “irritante” aos nossos olhos ocidentais. Como já dito pelos colegas, a cultura é outra; realmente um país que conseguiu se reerguer após guerras e tsunames, não deve encarar a disciplina como algo assim tão complicado. Alíás, ela foi muito necessária no processo de reconstrução daquela nação.
    Essa rigidez e precisão que demonstram não encontram paralelo em nossa cultura, talvez até pela própria diversidade inerente ao nosso povo, porém devo admitir que incutir desde cedo nas crianças conceitos de responsabilidade, respeito e limites não faz mal para ninguém.
    Pelo que sei, as escolas públicas que valorizam a disciplina apresentam resultados melhores em avaliações externas, o que comprova estreita relação entre essas duas variáveis. Aqui mesmo em nossa cidade, temos o caso de um colégio, que, longe de adotar essa modernidade toda tão propalada pelos teóricos de gabinete, ostenta o melhor resultado de Saresp da região, baseado numa filosofia de rigidez, pulso firme e rédeas curtas.
    Quanto aos temas de ATPCs, sugiro que também enfoquem os problemas disciplinares de algumas salas comprovadamente difíceis, mas que provoquem discussões e reflexões proveitosas e não apenas comentários do tipo “Mas comigo fulano não dá problema algum”,o que não leva a lugar nenhum.

    ResponderExcluir
  13. Mônica Monnerat

    ResponderExcluir
  14. Segundo Amado1 (2001, p. 42, apud OLIVEIRA, 2004, p. 45), podem ser considerados sete fatores que promovem o aparecimento da indisciplina:
    Fatores de ordem social e política: interesses, valores e vivências de classe divergentes e opostas, racismo, xenofobia, desemprego, pobreza.
    Fatores de ordem familiar: valores familiares diferentes dos valores da escola, disfuncionamento do agregado familiar, demissão da função socializadora.
    Fatores institucionais formais: espaços, horários e currículo desajustados aos interesses e ritmos dos alunos.
    Fatores institucionais informais: interação e lideranças no interior do grupo-turma que criam um clima de conflitos e de oposição às exigências da escola e de certos professores.
    Fatores pedagógicos: métodos e competências de ensino, regras e inconsistência na sua aplicação, estilos de relação desadequados.
    Fatores pessoais do professor: valores, crenças, estilo de autoridade, expectativas negativas relativamente aos alunos.
    Fatores pessoais do aluno: interesse, adaptação, desenvolvimento cognitivo e moral, hábitos de trabalho, história de vida e carreira acadêmica, autoconceito, idade, sexo, problemas patogênicos.
    Entretanto, quando há um interesse por parte dos alunos e ou da família, como no caso citado no texto sobre alunos do SENAI, esses fatores não são traduzidos em indisciplina na escola, pois as regras são claras e quem não as cumpre, é excluído. Quem sabe, a partir do momento em que a escola deixar de ser PARA TODOS e passar a ser PARA AQUELES QUE REALMENTE QUEREM, possamos ter melhores resultados, como na época em que a retenção por dois anos consecutivos, gerava jubilamento.
    Marilande

    1 AMADO, J. S. Compreender e construir a (in)disciplina. In: SAMPAIO, D. et al. Indisciplina e violência na escola
    . Lisboa: Colibri, 2001. P. 41-54

    ResponderExcluir
  15. Temas sugeridos para TPC:
    motivos da indisciplina;amor e culpa no ambiente profissional;valores éticos para todos os profissionais da escola.
    Professora Sueli

    ResponderExcluir
  16. Uma das principais causas da indisciplina desenfreada nas escolas públicas, sem dúvida, é o ECA – Estatuto da Criança e do Adolescente. O ECA é uma lei criminosa – desde que foi aprovada aumentaram assustadoramente os atos criminosos perpetrados e sofridos por crianças e adolescentes. As crianças e os adolescentes ocupam todos os espaços públicos, em qualquer hora, drogando-se, prostituindo-se, fazendo arruaças, hostilizando-se e hostilizando pessoas honestas, trabalhadoras e ordeiras; e as autoridades competentes alegam que “nada podem fazer, devido ao ECA”.
    Na escola, o ECA, com a parceria da famigerada Promoção Automática, também teve uma consequência nefasta – a indisciplina desenfreada tomou conta da quase totalidade das escolas. Os piores alunos têm mais poderes que os professores, os funcionários da escola e, até mesmo, que os diretores. Em muitas escolas, tais alunos chegam a impor o ritmo escolar.
    Infelizmente, apesar da consolidação e dos avanços da democracia em nosso país, ainda há a visão ideológica de que o aluno indisciplinado, e até mesmo violento, é um revolucionário – um futuro líder que comandará pessoas na transformação social do país. Assim, ao aluno indisciplinado e violento as sanções disciplinares permitidas são lenientes ou indulgentes. Fica a sensação de impunidade, a qual gera a violência que se tornou lugar comum no país. A triste realidade é que essa “pedagogia”, da qual, como educadores, somos agentes, não cria revolucionários, mas embriões de futuros criminosos.
    Sugestão para as próximas ATPC’s virtuais: resumo dos livros de assuntos pedagógicos que fazem parte do conteúdo programática para a próxima prova de mérito.
    James

    ResponderExcluir